quarta-feira, 24 de junho de 2009

Review + Made in Nihon = Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 3


Lembro como se fosse ontem, acordava cedo nas manhãs de sábado pra assistir no SBT o desenho do pequeno garoto com rabo de macaco, Dragon Ball! Na época (meados dos meus oito anos) nem sabia o que era um Anime, muito menos tinha conhecimento do mestre Akira Toriyama, apenas me divertia vendo as aventuras de Goku, Bulma, Yamcha (meu favorito) e Mestre Kame em busca das sete esferas do dragão e lutando contra a Red Ribon.

Poucos meses depois a série já não passava mais, uma pena... Foi então que zapeando no tuner da parabólica vejo uma face conhecida. Goku! Band Kids! Descubro que a história não havia acabado, o anime, agora com a letra "Z" no final, continuava e muito melhor! Novos inimigos, que se tornaram amigos (aliás, algo muito comum na série, vide: Piccolo, Vegeta, Yamcha e até o próprio Majin Boo) e outros que eram escrotos e tiveram que ser detidos pelos guerreiros Z. Esquadrão Ginyu, Freeza, Adróides, Cell, Dabra, Majin Boo. Alguns eram até cômicos, outros despertavam raivas de todos os moleques que assistiam hipnotizados aos episódios, na escola só se comentava as bravas batalhas de Goku e sua turma. Era a febre de Dragon Ball Z. Creio eu que não há outro anime com tantos fãs no Brasil e no mundo. Alguns citam Cavaleiros do Zodíaco, mas até mesmo no Japão não é um dos animes mais lembrados, só aqui no Brasil que há essa nostalgia pelo Seiya & Cia. (sim, também haverá um Made in Nihon sobre eles, não se preocupe).
Pois bem, o desenho é excelente, confesso que até hoje assisto a alguns episódios memoráveis no Youtube, de preferência dublados em português que, aliás, é uma das melhores dublagens de animes. Coloco inclusive a minha cabeça a prêmio, ao dizer que considero, desde as vozes até as músicas de abertura brasileiras, melhores que da versão original e de que qualquer outra. Sinceramente, o Goku japonês tem um sério problema de voz fina e o americano tem um sotaque bizarro. As aberturas são todas de alta qualidade, mas venhamos e convenhamos "O céu resplandece ao meu redor! Vou voar... Estrelas brilham entre as nuvens sem fim", é muito mais nostálgico.
Ok, ok. Me empolguei. Esse blog é sobre games. Lembrem de todos os personagens de Dragon Ball, quantos você chutaria que houveram? Bom eu lhes digo que cerca de 200, contando inclusive personagens derivados de fusões e outros bem mal aproveitados, como a filha de Vegeta que aparece na saga GT

Pausa para explicação
: não falei muito dessa (GT), pois na verdade não é uma saga, é um "extra" de DB, para o próprio Akira a série só vai até a Z, na GT ele apenas se encarregou da criação e design dos personagens, tanto que no final do ano passado (2008) ele fez um especial para TV japonesa, que mostrava a "ultima batalha de Goku" e ela se passa três anos após a era de Majin Boo. Ou seja, GT é um anime baseado em Dragon Ball. É uma suposição do que poderia ter acontecido.

Continuando, destes cerca de 200 personagens, 161 estão no game. Isso é um número absurdo para um jogo! Você encontra desde Goku na sua fase jovem até a SS4, até mesmo os Saibamen, Cells Jr. e Arale (personagem de Dr. Slump, outra obra de Akira que faz uma pequena participação na 1ª fase do desenho, ajudando Goku contra o General Blue) estão presentes no jogo! Todos com golpes únicos, combos gigantes e é claro seus clássicos especiais, ouvir Goku gritando "Kamehamehaaaaa!!!" (infelizmente com voz fina ou sotaque estranho) é nostalgia total! O visual então, feito com a técnica Cel-shading, que deixa objetos 3D com estilo de desenho, também muito bem usados em Okami e Naruto: Narutimate Accel. Está tudo perfeito nesse aspecto, golpes memoráveis, dezenas de opções de batalhas, fusões, movimentos fiéis aos do anime. Maaaaasss, nem tudo são flores. Claro que para colocar tamanha gama de lutadores, qualidade sonora e gráfica, algo tinha que ser sacrificado. E a vítima foi o modo Dragon History. Quando comecei a jogar imaginei participar de TODAS as batalhas das sagas, mas não. É realmente decepcionante, a fase Boo, que foi uma das mais longas do anime, se baseia em seis lutas. E nem sequer é contra todas as formas do monstro. Você se pega várias vezes perguntando pra si mesmo: "ué? mas agora Picollo deveria ter entrado na luta." ou ainda "Onde diabos foi o Kuririn na luta contra os andróides?". Sério, isso cortou minha diversão ao meio. O que ainda salva são as lutas do modo "What If..." (E se...) que propõe participarmos de batalhas que não aconteceram, mas que todos gostaríamos de ver.

Se você após ler tudo isso ainda ficou na dúvida, eu lhe afirmo: vale muito a pena comprar! Se você é fã da série, vai ter ataques nostálgicos ao ver todos os 161 personagens fielmente produzidos e você no controle deles. E se você não teve infância, ou por algum motivo não gosta de Dragon Ball, terá um ótimo game de luta em sua casa. Agora, se preza por realismo e não gosta de animes ou personagens "cartoonizados" passe longe desse jogo e compre UFC (que aliás era minha 1ª opção de review, mas fica para uma próxima vez).

Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 3 está disponível para PS2, Wii e MAC (!).

Nota: 8/10

Pontos positivos: Muitos personagens de todas as sagas, batalhas fiéis ao anime

Pontos negativos: Modo "History" curto demais, jogabilidade complicada, defender é quase impossível.

Reset! Ou como diria Vegeta: "Adeus. Vermes insolentes!"
Esse post foi escrito ao som de:

4 comentários:

  1. Meu modo Fanboy estava ativado quando escrevi isso e eu estava realmente escutando "Cha-la Head Cha-la", então qualquer excesso de nostalgia, foi causado por fatores externos. E sim, depois de escrever isso vou ir jogar DBZ: Budokai Tnkaichi 3 e tentar matar a maldita Arale na saga What If (sério, é muito difícil matar ela)

    ResponderExcluir
  2. Dragon Ball foi muito legal,também curti.
    Aliás,acho que alguma versão ta passando na Globo durante a manhã(só não sei qual,nem o horário de exibição =S).

    ResponderExcluir
  3. Só corrigindo,a Globo estava passando DB pelas manhãs....ja tirou da programação.

    ResponderExcluir
  4. Sim passou na Globo um tempo depois do fim da Saga Z. Mas eles cortaram vários episódios. Acho que na parabólica ainda passa de sábado.

    ResponderExcluir

Comente, além de ser a nossa força para continuar, saberemos o que você acha do nosso trabalho.